14 junho, 2013

[Conto] Romance de Banca | Parte 2


“Que educado” eu pensava, aborrecida.
Involuntariamente, sai andando à passos apressados atrás daquele mal-educado. Por sorte, parei-o a uma distância significativa do caixa. Eu iria colocar em prática o meu poder de persuasão.
– Olha só, me desculpa, mas eu realmente quero muito esse livro. – Sorri, tentando ser simpática. – Eu tenho todos os livros do Sparks, e só está faltando esse para completar a minha coleção.

Ele continuou a me olhar firme, uma expressão de quem não dava a mínima para a minha situação, e então revirou os olhos.
– Sendo assim, você podia ter pego o livro antes que eu o tivesse feito. – Ele retrucou, paciente. – Mas, se você não o fez, eu também tenho direito de leva-lo, não? Pelo o que aqui consta, este livro não lhe pertence, afinal.
Ainda não me pertence. – Falei, meu tom era de desafio. Esqueça o sorriso e a simpatia, eu quero o meu livro de volta!
– Bookaholic, não é? – Ele indagou, de repente, sorrindo zombeteiro.
– Hein? – Geralmente eu era quem dizia isso às pessoas quando as conhecia. E não o contrário... – Bem, meu nome é Isabella, mas como sabe disso?
– Típico de vocês se desesperarem por livros. – Ele sorriu, e dessa vez pude notar um tom amigável e compreensivo em sua voz. – Mas acho que você também é uma Sparksmaníaca, certo?
– Er... bem, é isso mesmo. – Corei. – Está tão na cara assim?
– Sem dúvidas. Mas é normal encontrar pessoas assim logo numa livraria, mesmo. – Ele falou. – À propósito, sou o James. – Ele se apresentou. – Um bookaholic, caso não tenha percebido também.
Fiz uma careta de surpresa, e logo ele mostrou a sacola que carregava consigo. Cheia de livros.
Sorri, compreensiva.
– Também gosto das obras do Nicholas, na verdade, já li todos os livros que ele lançou, – Ele olhou rapidamente para o livro em mãos. – isto é, quase todos.
Empate.
– Bem, então pode levá-lo. Vou esperar a próxima remessa dele para a livraria, mesmo. – Abaixei a cabeça, afastando-me aos poucos daquele rapaz que parecia ser tão apaixonado por livros quanto eu. Mas, antes mesmo de dar três passos, ele me segura o braço.
– Sparksmaníaca, né? – Ele sorriu, gentil. – Olha, acho que seria mais justo que você o levasse.
– Sério, sem problema?
– Absoluta. – Ele para por um segundo, e volta a falar. – Mas, não sei... que tal se você me emprestasse ele depois de lê-lo? Pelo menos para eu completar o meu skoob com os livros do Sparks.
Skoob... Ele estava cada vez mais falando o mesmo idioma que eu.
– Ah, bem, pode ser. – Ponderei, indecisa. – Mas eu não sei onde você mora, e, onde quer que seja, provavelmente deve ser longe da minha casa.
– Ah, tranquilo, a gente marca de se encontrar aqui para emprestarmos o livro, o que acha?
Ele era persistente. E esperto. Ótimas características para um leitor assíduo. Por fim, sorri, aceitando sua proposta.

Era apenas um livro, mesmo...

Continua...

4 comentários:

  1. adoreiii! Você deveria publicar um livro sérioooo!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. :3 Você escreve realmente bem! É assim que se começam os grandes escritores, viu?
    Ganhou mais uma seguidora - e leitora.
    Beijos! Just the Way You Are

    ResponderExcluir
  3. Sâmmy, seja boazinha e libera logo a próxima parte, por favor? *----*
    Conto lindo, lindo, lindo ♥
    Beijos ;)

    ResponderExcluir