11 junho, 2013

[Conto] Romance de Banca | Parte 1


Prazer, bookaholic.
Normalmente era assim que eu me apresentava para as pessoas. Nada de “Oi, eu sou a Isabella”, era “bookaholic” mesmo. E com razão.
Desde que me entendo por gente, sou essa pessoa fascinada por livros. Desde aqueles livrinhos finíssimos de fábulas infantis até os romances de 800 páginas, eu sempre li na minha vida. Inclusive, não conheço ninguém tão apaixonado por essas preciosidades como eu. Tanto é que vivo gastando meu dinheiro com eles, motivo pelo qual a minha estante já se dividiu em quatro e eu estou, eventualmente, sem um centavo para contar história. É, essa sou eu.

Minha mãe vive dizendo que, por causa disso, nunca vou conseguir me casar um dia.
– Imagina só você encher sua lista de casamento com os lançamentos literários do momento. – Ela gozava. – Isso se você não levar o seu futuro marido à falência, mais tarde.
É, a realidade era bem essa. Não era mesmo surpresa se deparar com o fato de eu realmente nunca ter namorado nenhum garoto durante meu colegial. Mas que culpa eu tinha se a maioria deles eram uns completos idiotas que só sabiam “ficar” com as garotas e viverem se achando os maiorais? Que culpa eu tinha se os mocinhos dos meus livros davam de dez à zero neles? Acredito que isso já resuma toda a minha história com essa espécie humana.
Por isso mesmo, foi um tanto quanto inusitado o que aconteceu comigo naquela tarde de sexta-feira. O dia estava nublado desde que amanhecera, mas até aquele momento não havia derramado uma única gota sequer. Ainda assim, todos andavam com seus guarda-chuvas apostos, caso a chuva resolvesse apontar de surpresa. Eu, como sempre, após um dia cansativo na faculdade, resolvi passar na livraria do centro da cidade. Não que eu estivesse sem nenhum um livro para ler em casa – pelo contrário, eu tinha uma estante inteira cujos bonitos ainda estavam como “vou ler” no meu skoob – mas é que já era hábito meu passar na livraria, na sexta, após a aula. Naquele dia, claro, não foi diferente.
Comecei a andar por entre as estantes, passiva e despreocupada. Romances, contos, crônicas, fantasias, suspenses, chick-lits, comédias, dramas... Pela primeira vez na vida não me senti indecisa sobre qual estante dessas olhar primeiro, já que eu havia me decidido com todas as minhas forças de que não faria compra alguma naquele dia.
Bem, ao menos essa era a minha intenção.
Eis que então, já quando eu ia deixar o lugar, me deparo com uma capa em tons dourados e um clima de pôr do sol, e as minhas pernas fixam ao chão. Involuntariamente, porém, elas viram em direção ao livro solitário tão lindo na estante à minha frente, e paro para ler melhor o título. Um Porto Seguro, de Nicholas Sparks. O único exemplar que havia na estante; o único que faltava para eu completar a minha coleção dos livros do autor!
E então aproximo minha mão dele, lentamente, até que, numa fração de segundos, o livro some da prateleira. Pisco. Olho para o lado.
– Ei, você. Eu ia comprar esse livro.
O rapaz virou-se para mim, fazendo pouco caso, e disse:

– Como você mesma falou, você ia comprá-lo. Mas agora sou eu quem vou leva-lo. – E virou-se, indo em direção ao caixa. Com o meu livro em mãos. 

Continua...

Um comentário:

  1. Adorei flor. Eu adoro escrever e tal... Mas, eu não escrevo tãp bem como você. Dando uma olhada nos seus posts me apaixonei pelo seu blog. Ele já vai entrar na minha lista de "Eu leio" que vou fazer no meu blog, e já até salvei aqui nos favoritos no meu computador, para sempre eu entrar para ver se tem post novo. Eu me admirei seu blog de tão simples ter conteúdo tão precioso. Enfim, eu gostaria de perguntar se você quer ser minha afiliada. Ah... já estou seguindo aqui.

    vou correndo ver a parte 2 do contoo! \õ/
    Beijoos

    sweetsecretfantasy.blogspot.com

    ResponderExcluir