18 novembro, 2013

[Conto] Eu Sou o Seu Maior Fã | Parte 1

Primeiramente, desculpem pelo meu sumiço de novo. Vamos combinar uma coisa? Desculpem, mas acho que só teremos websérie em Dezembro. Está meio corrido escrevê-la e postar enquanto tem o NaNoWriMo, sem contar que logo mais estarei em provas. Mas logo a rotina do blog vai voltar ao normal e teremos ela e minhas poesias, textos e crônicas de sempre. Tudo bem? 
Enquanto isso...
Já fazia um tempo que eu havia tido a ideia para um conto novo. Só que ela demorou a fluir com precisão, e, quando aconteceu, acabou indo parar, em primeira mão, no jornal do projeto do qual eu participava na Feira de Ciências da escola esse ano. Agora estou trazendo ele aqui para o blog, e, bem, espero que gostem! ^_^


- Carolina, minha filha, saia desse quarto, por favor. Não vai adiantar de nada você querer se esconder do mundo agora.
Minha mãe continuava a berrar incessantemente na porta do meu quarto, seus gritos seguidos de batidas ensandecidas na porta, que eu via a hora em que ela não iria aguentar mais e acabaria por ceder. E eu seria arrastada, contra a minha vontade, de volta para a vida.
Mas ela não entendia a minha situação. Simplesmente, não compreendia o quão complicado ela era, e nem muito menos que, apesar das alternativas que eu ainda buscava para contorná-la, ainda assim a decisão final foi a mais dolorosa e agora eu provava da dor de uma separação prematura.
Não venha me criticar, alegando que sou boba para entrar nesse clima melancólico, mas o que mais eu poderia ter feito? Eu amava demais o Danilo, assim como ele me amava e insistia em mostrar isso para o mundo inteiro saber, e a nossa história juntos podia ter sido linda, se esses longos quatro anos de namoro não tivessem se passado com um pequeno encalço: o Danilo era um astro teen de sucesso.
Mas não necessariamente eu o estava culpando, entendam. Desde que nos conhecemos durante um trabalho de Inglês, em pleno segundo ano, eu já o admirava pela sua paixão inabalável pela música, e logo que descobri o quanto sua voz era melodiosa e o seu talento na guitarra, não duvidei de que, no futuro, ele pudesse mesmo fazer sucesso. Mas eu não esperava que esse futuro fosse tão próximo assim, convenhamos. Nem muito menos que, logo após alguns vídeos no youtube, o público teen – ou deveria dizer, feminino – o aceitasse de uma forma tão... obsessiva, louca? E eu até tentei me manter como a namorada companheira e boazinha enquanto ele passava dias e dias fazendo shows direto desde o terceiro ano, sempre recebendo-o de volta com um sorriso de apoio e palavras de orgulho, mas, num dado momento, meu subconsciente começou a gritar “chega!” e foi quando eu percebi que o nosso relacionamento acabava de entrar numa fase de inseguranças e incertezas, onde apenas o sentimento já não era mais o suficiente.
Mamãe voltara a bater na porta, dessa vez, exigindo que eu saísse do quarto e parasse de tocar repetidas músicas românticas que, segundo ela, só deixavam o clima do meu cômodo ainda mais melancólico e nostálgico. Não dei ouvidos, novamente, e me enfiei de vez nas cobertas, a cabeça debaixo do travesseiro, abafando seus gritos. Ela finalizou, por fim, afirmando:
– Ao menos abaixe esse som, Carolina, antes que os vizinhos do apartamento ao lado resolvam reclamar! – E saiu; pude ouvir claramente um bufo acompanhado de seus passos irritados pelo carpete da sala. 
“Ok, está certo, só me deixe sozinha por mais um tempo” pensei, em puro alívio.

Um comentário:

  1. Namorar um guitarrista? Ual, eu queria... A protagonista teve essa sorte, mas não sei se chamaria de sorte o fato de que o namorado em questão ficou tipo, super famoso... Ter que dividi-lo com as fãs enlouquecidas é tarefa árdua! Ela fez bem em terminar. Acho. Mas se ela ainda o ama, a história fica meio complicada... Enfim, acho melhor eu esperar pela segunda parte antes de mais conclusões antecipadas :)

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir