29 novembro, 2013

[Conto] Eu Sou o Seu Maior Fã | Parte 3 (Final)



Essa leva de perguntas invadiu minha cabeça, e eu só sei que, antes mesmo de chegar ao refrão, meu coração começou a pedir tempo e oxigênio, e eu saí correndo do quarto, atravessando apartamento afora, e pegando, em seguida, o elevador, com destino para o terraço no último andar do prédio. Enquanto estava ali dentro, dediquei-me a tentar recuperar meu fôlego, ao passo que estava totalmente esgotada, tanto quanto ao oxigênio que quase não entrara em meus pulmões, como pelos sentimentos que haviam despertado em meu peito, todos eles em completa confusão.
O elevador então chegou ao décimo quarto andar, e eu segui em direção à escadinha que levava para o terraço. Pretendia me acalmar e procurar pensar com clareza na situação, ou talvez até ignorar tudo. Talvez tenha sido um gesto brusco fugir daquele jeito, mas o que eu podia fazer? Ou era isso ou me trancar no quarto pelo resto do ano, em total confusão emocional, e isso, definitivamente, deixaria minha mãe ainda mais irada do que ela já está. E eu fiquei lá em cima, as mãos apoiadas na barra de concreto das laterais, olhando o horizonte à minha frente e submersa em pensamentos. Estava tão absorvida que não notei, porém, que mais alguém havia chegado ao terraço, pouco depois. Virei-me e dei de cara com o Danilo, um ligeiro sorrisinho triste repousando em seus lábios, e aquele olhar de cachorrinho abandonado que ele bem gostava – e sabia - de fazer.
Nos encaramos por algum tempo, ambos sem saber o que fazer ou dizer, mas, no fim das contas, ele decidiu quebrar o silêncio, se aproximando aos poucos.

– Você perdeu o resto da música. – Ele disse, ainda parecendo triste. – Eu havia trabalhado tanto nela, só para você. Mas você nem se deu ao trabalho de ouvir...
– Danilo, você sabe melhor do que qualquer um que eu sempre te apoiei e me orgulhei de você, mas você também tem que reconhecer que a nossa situação já não tem mais jeito. – Falei calmamente, igualmente triste.
– Não tem jeito porque você não quer, Carolina. – Sua voz era suave, e mesmo pelo contexto, não era acusadora; tinha um lado compreensivo nela.
– Tanto faz, só sei que não dá mais para viver assim, Danilo. Eu estou precisando de tempo, muito tempo, para me dedicar a meus projetos pessoais e profissionais, e o que eu menos quero é atrapalhar sua carreira com eles ou passar pelo papel de “namorada distante”. Me desculpe.
Virei-me de volta a paisagem à minha frente e o silêncio voltou a pairar novamente por mais um tempo. Quando eu achava que, dessa vez, ele iria entender e sair, porém, uma voz melodiosa preencheu o ambiente, dessa vez, no entanto, sem o acompanhamento do violão.

Porque você sempre foi tudo que eu sempre quis
Aquele sonho antes esquecido que me fez sorrir
Só de te olhar, tocar, te ver passar
Só penso que não quero mais me afastar

Porque você sempre foi tudo o que eu sonhei
As várias faces do amor de uma só vez
Só de te ver chegar, mal posso esperar para te abraçar
E dizer o quanto estou feliz por te amar...

Honestamente, esse meu coração devia estar muito confuso. Porque uma garota normal, ao ouvir aquilo, iria chorar de felicidade ou ir correndo abraçar o seu amado, mas eu comecei a rir. De nervoso. De raiva. De felicidade. De ansiedade. E, principalmente, de saudade.
E sabe quando você pensa que as coisas não podem ficar mais confusas para você do que já estão? Pois é...
Elas ficaram.
Porque, bem... no minuto seguinte, lá estava nos braços do meu astro teen, rindo histérica e alegremente, e ele, claro, me acompanhava da mesma forma. Porque, claro, como meu namorado bem costumava dizer, a música era a solução para tudo. Inclusive para a nossa relação...

2 comentários:

  1. Ainn, que coisa mais fofa! Você tem noção do tanto que eu amo contos românticos? É, pensando bem, deve ter. E tem noção também do tanto que eu acho que você escreve bem. Li a segunda e a terceira parte, que estavam pendentes para mim, e fiquei simplesmente encantada com a história - e feliz pelo Danilo ter reconquistado, de uma forma tão linda, a sua amada.

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  2. Fofura, fofura, fofura! *----* Acabei de ler as três partes e... que conto lindo, Sâmmy! Danilo super fofo ♥ Adorei!
    Beijos ♥

    ResponderExcluir